6.12.07

CATARINAS DE BALEIZÃO

Catarinas de Baleizão é uma peça que aborda a trajectória existencial de dois casais alentejanos, desde a sua adolescência até à maturidade da vida adulta, que vivem em épocas diferentes: um durante os anos 30 e 40 do século passado, e o outro do início dos anos noventa até à actualidade. Tendo como referência alguns dos factos e acontecimentos reais que marcaram a situação social, económica e política no Alentejo na primeira metade do século XX e o percurso de vida de Catarina Eufémia e seu companheiro, António do Carmo (Carmona), um dos objectivos deste trabalho é contrastar, misturando a ficção e a realidade histórica, os universos mentais, éticos, cívicos, relacionais, de dois casais de alentejanos de Baleizão em duas épocas distintas, dando conta, quer dos dilemas e conflitos interiores das personagens, quer das circunstâncias da vida rural, familiar, social, económica e política próprias de cada uma das épocas consideradas. Pretende-se também com este trabalho apresentar o heroísmo como um fôlego de dignidade e determinação, mas que não é imune a fraquezas e hesitações. A peça é interpretada por dois actores que se vão desdobrando, ao longo das cenas, nas quatro personagens.
Ficha Técnica e Artística:
Texto: António Manuel Revez Encenação: Júlio César Ramires Interpretação: António Revez; Paulo Ribeiro; Ana Ademar Desenho de Luz: Júlio César Ramires; Ivan Castro Operação Técnica: Miguel Conceição Banda Sonora: Paulo Ribeiro Direcção de Produção: Jorge Barnabé
Produção: Lendias d’Encantar