21.10.11

Ardente Perfeição da Tua Ausência - A Exposição...

A cada semana, por cada autor, pedimos às actrizes que escolhessem um poema que serviria de inspiração a 16 artistas locais: quatro performers, quatro músicos, quatro artistas plásticos/visuais e quatro personalidades que concordassem dar voz a esse mesmo poema.

O mote destas dezasseis criações foi o poema de Sophia de Mello Breyner

Mulheres à Beira-Mar

Confundido os seus cabelos com os cabelos
do vento, têm o corpo feliz de ser tão seu e

tão denso em plena liberdade.


Lançam os braços pela praia fora e a brancura
dos seus pulsos penetra nas espumas.


Passam aves de asas agudas e a curva dos seus
olhos prolonga o interminável rastro no céu
branco.


Com a boca colada ao horizonte aspiram longa-
mente a virgindade de um mundo que nasceu.


O extremo dos seus dedos toca o cimo de
delícia e vertigem onde o ar acaba e começa.


E aos seus ombros cola-se uma alga, feliz de
ser tão verde.

Sophia de Mello Breyner Andresen
1950, Coral (1ª Parte, II)

Na primeira semana contamos com as performances de:

Mafalda Bernardino

Leopoldina Almeida
Filipa Quinta-Queimada

Paulo Ramalho

Com os trabalhos de:

António Caturra

António Manuel Revez

Zandre

Bernardo Sousa
Com os ambientes sonoros de:
  • Aresta
  • Hélder Morais
  • João Rosa
  • Manuel Nobre

E com as vozes de...
  • Ana Ademar
  • Jorge Barnabé
  • Jorge Serafim
  • Paulo Barriga


Sem comentários: