9.11.12

Na Curva Onde os Nossos Corpos se Projectam



Sinopse
 “É, só eu sei
Quanto amor eu guardei
Sem saber que era só prá você…
Que eu sempre fui só de você
Você sempre foi só de mim”    
Tom Jobim
Ao arrepio do vento, das tempestades da nossa vida amorosa. Do lado marginal dos amantes. Ainda existem relações que perduram no tempo, relações amorosas que são isso mesmo, verdadeiras histórias de amor, de paixão, de uma tesão que não acaba.
Há relações assim, que duram. Um homem que se isola, que pensa, repensa os seus quarenta anos. Um encontro inesperado com o seu amor da adolescência é o impulso para uma reflexão que necessitava ser feita, que urgia realizar.
A verde paixão de outrora, o desencontro, a mágoa do abandono… tornou este homem feliz, realizado nos braços, na paixão de um amor de todas as estações. Um amor da primavera dos afectos, um amor do inverno molhado da paixão. 
                                               “Porque quem ama tem medo de perder…”
Pedro Abrunhosa

 Ficha Técnica e Artística
Direcção: António Revez
Interpretação: Mário Abel (performer) e Manuel Ferraz (músico – guitarra)
Cenografia e Grafismo: Ana Rodrigues
Desenho e Operação de Luz e Som: Ivan Castro
Produção: Lendias d'Encantar 2012


A Exposição
Parte integrante do Ciclo Um Actor- Um Músico no espaço Os Infantes é o convite a artistas da nossa região para que sejam criadores e participantes activos deste projecto.
Entregámos a nove pessoas um poema e desafiámo-los a fazerem uma leitura pessoal sob a forma que lhes pareça mais adequada: instalação, performance, pintura, escultura, sons, música, etc….
O que podemos ver e ouvir um pouco por todo o espaço nestas duas noites de espectáculo, são interpretações pessoais, distintas e possivelmente contraditórias entre si, de um mesmo texto.



Performances:
Fernando Carvalheiras e Vera Correia
Música
Zedd Galrito
Instalações
Ana Rodrigues, Carlos Cascalheira e Silvestre Raposo
Vozes
Ana Ademar, José Pedro Oliveira e Sílvia Graça

O Ciclo 1 Actor 1 Músico chegou à sua terceira edição.
Naturalmente que entre o primeiro Ciclo (em 2009) e o deste ano houve transformações, mudanças, até mutações - algumas deliberadas, outras por necessidade de adaptação à realidade do trabalho. Este ano, voltamos a baralhar e a dar, introduzimos algumas mudanças que esperamos, melhorem o resultado final, sem que a essência do projecto seja afectada.
Nos três espectáculos que compõem o Ciclo, apresentamos uma visão pessoal, mas multifacetada do amor: o amor platónico, o amor correspondido e o amor carnal.
Uma das mudanças mais profundas deste ciclo em relação aos dos outros anos, é que desta vez não são os actores a construir os textos, mas sim o encenador e com uma ideia prévia do que vai tratar a nova narrativa. Assim teremos uma unidade de escrita, uma linha, um fio condutor ao longo das três performances.
Mantivemos a regra de reunir o actor e o músico apenas para um ensaio no dia do espectáculo: dar-lhes espaço e oxigénio suficiente para uma respiração conjunta, mas evitar que o conforto se instale - manter espaço para o imprevisto da improvisação.

Próxima Performance:
Dias 29 e 30 de Novembro

Reservas pelos tels. 284324172 ou 966651380

O espectáculo começa com a abertura da porta às 21h30.
3€ por pessoas ou 1,5€ para sócios.

Sem comentários: